Atendimento via WhatsApp (51) 993323391
Menu

Cães vendidos a celebridades nos EUA podem vir de criadouros

Cães vendidos a celebridades nos EUA podem vir de criadouros ilegais Denúncia aponta que os criadouros sem licença praticam abusos. Pet shops investigados vendem cães de raças caras para celebridades. Do New York Times Tamanho da letra Cachorros à venda em loja de Los Angeles, que tem celebridades como clientes (Foto: NYT)Um pet shop no bairro de Bel-Air é acusado de enganar os clientes, entre eles celebridades de Hollywood, sobre a origem dos filhotes que vende. De acordo com uma investigação divulgada pela associação norte-americana Humane Society nesta terça-feira (11), muitos desses filhotes são provenientes de criadouros que funcionam sem licença. A investigação analisou criadouros de cães, leilões de animais e pet shops que formam uma rede de fornecimento de cães de raças caras que podem ser encontrados pelas ruas de Beverly Hills, muitas vezes vestindo suéteres e coleiras imitando diamantes. Esses chamados criadouros de filhotes são locais de procriação em grande escala com reputação de praticar abuso de animais, procriação consangüínea e funcionar em péssimas condições. "Esses criadouros adotam uma mentalidade agrícola à criação de cães", declarou Wayne Pacelle, presidente da Humane Society. "Muitas vezes, esses lugares são administrados por produtores de soja e milho, e este se torna outro cultivo, ainda mais rentável, para eles. Quase sempre se torna a principal fonte de renda já que nenhum dinheiro é investido no cuidado e tratamento dos cachorros." As raças pequenas dispostas em berços de madeira na loja de Bel-Air, a Pets of Bel Air, são vendidas a partir de US$ 1 mil (cerca de R$ 1,7 mil) e são populares no cenário hollywoodiano. "Não estamos destacando a Pets of Bel Air como a única culpada", disse Pacelle. "Mas eles são representativos." Flagrante Em um vídeo gravado dentro da loja pela Humane Society, Paris Hilton aparece em um determinado ponto, observando as prateleiras superiores. As pernas de seu Chihuahua ficam penduradas sobre seu braço e o cão observa o local. O vídeo, obtido por uma câmera escondida, também mostra um gerente instruindo um funcionário a não permitir que os clientes saibam da gravidade dos problemas de saúde de um dos filhotes. Os funcionários da loja não retornaram as ligações da redação pedindo que comentassem o caso. Na fita, as cenas da loja são editadas com imagens das operações de criação no Arkansas, Kansas e Oklahoma. O vídeo mostra centenas de cães pulando freneticamente em pequenas gaiolas deixadas ao ar livre. O vídeo de um dos criadouros descreve "mais de 100 cães para criação confinados em pequenas gaiolas", na Carole s Puppy Palace, em Pocola, Oklahoma. O narrador caracteriza a operação, administrada por Carole Glenn, como não licenciada. Mas na terça-feira, Glenn afirmou: "Tenho seis filhotes aqui de três ninhadas. Eu já vi esses criadouros e acredite, são lugares sujos e nojentos." "Não faço esse trabalho", acrescentou Glenn, que está na lista de criadores licenciados no site do Ministério da Agricultura dos EUA. Pacelle disse que as informações coletadas neste ano indicam que Glenn não possui licença para criar cães. A informação do site deve estar desatualizada, explicou ele. Tradução: Claudia Freire

Fonte: http://g1.globo.com/