Bulldog Inglês
Idioma: Português Inglês Espanhol
Reserva do Rei Bulldog Inglês
Nosso Gongarbulls Pompidou é BISS na 13 Nacional Abrabull!!

Você está em: Início > Bulldog Inglês > Artigos




Dominância no Relacionamente Cão/Ser Humano

Oliver

O que se segue é um excerto retirado do livro “ Dominance : fact or fiction ?” escrito por Barry Eaton, que claramente mostra as tendências mais modernas para interpretar a dominância; tendências essas que só apareceram após pesquisa feita a partir do meio da década de 90.


EXCERTO


Na década de 80 e princípio da década de 90, quase que nos fizeram uma lavagem ao cérebro no sentido de nos fazer acreditar que qualquer sintoma de um problema comportamental indicava que o cão estava a ser dominante. Todos os livros nos diziam que nós, como donos, deviamos ser o Alpha da matilha para evitar que o cão se tornasse dominante. De facto, para evitarmos que o cão se tornasse dominante, deviamos copiar supostos comportamentos do lobo, tais como :


A ) Comer antes do cão. O Alpha come primeiro.
B ) Não deixar o cão dormir na nossa cama. O Alpha não compartilha o seu espaço com um subordinado.
C ) Não deixar o cão deitar-se no cimo das escadas. O Alpha ocupa sempre a posição mais alta.
D ) Nunca deixar o cão passar pela porta primeiro. É o privilégio do Alpha ir à frente.
E ) Cães que puxam à trela são dominantes. O Alpha é que lidera a matilha.
F ) Nunca deixar o cão ganhar jogos de tracção. O Alpha ganha sempre o troféu.


Analisemos algumas dessas regras que nos foram ensinadas, regras essas baseadas no comportamento do lobo e não do cão, que embora tenha descendido do lobo, não é lobo:


Comer antes do cão.


Vejamos a seguinte situação. A mãe prepara a comida do cão e coloca-a no balcão da cozinha. A seguir chama o pai que está a cortar a relva, a filha que está a secar o cabelo, e o filho que está de volta da mota. A família demora algum tempo a reunir-se, depois come e ao fim deste tempo todo o cão come. Ao seguirmos esta regra é possível que estejamos a causar ansiedade desnecessária no cão, pois ele não compreende por que é que a sua comida está pronta mas não a pode comer. Com esta atitude, até podemos estar a encorajar o cão a saltar para chegar à comida.


Nunca deixar o cão passar pela porta primeiro.


Como a comunicação cão / cão é diferente da comunicação cão / humano, acham que o cão compreende por que é que não pode passar pela porta antes do dono? Quando está a chover torrencialmente e o cão precisa de ir ao jardim fazer as suas necessidades vocês passam pela porta primeiro e ficam encharcados só para reforçarem a vossa posição de Alpha ? Eu decididamente não o faria ! O cão que vá sozinho e se molhe !


Nunca deixar o cão ganhar jogos de tracção


A origem desta regra baseia-se no facto dos lobos agarrarem a presa, cada um puxando para seu lado, mas o Alpha ganha. Para uma matilha no seu habitat natural, às vezes é difícil arranjar comida; por isso a disputa pela presa pode fazer a diferença entre a vida e a morte para um deles. Isto aplica-se ao nosso cachorro ou cão adulto que é alimentado por nós uma, duas, ou três vezes por dia? Os cães fazem jogos de tracção uns com os outros sem resultados hostis. Os jogos são importantes para a aprendizagem, influência do comportamento, e formação de laços afectivos entre o cão e o dono, e isto inclui jogos de tracção. Puxar é um comportamento natural que até foi acentuado para servir o ser humano. Por exemplo, uma das tarefas de um cão de auxílio é puxar a roupa para fora da máquina de lavar. Esta tarefa que lhe foi ensinada faz dele um cão dominante ?


Puxar quando anda à trela


Os cães puxam quando andam à trela, porque não foram ensinados a não o fazer. Se formos a ver, andar à trela não é um comportamento natural. Uma situação típica é o cão que vai passear para o parque, puxando à trela, porque está excitado com a ideia de uma bela corrida quando lá chega. De regresso a casa, vem cansado, já não puxa e vem ao lado do dono. Está a ser dominante a caminho do parque e submisso a caminho de casa? Acho pouco provável !



Fonte: Excerto traduzido por Alexandra Santos

Outros Artigos



Voltar